"As Mulheres verdadeiramente nobres (...) são as que ascendem,  as que se levantam, as que se exaltam superiores à própria natureza humana, aquelas em cuja alma imortal latejam e fremem, refervem e tumultuam o génio supremo do sentimento, a glória maravilhosa do heroísmo (...)"

Júlio Dantas, 1915